quinta-feira, 21 de maio de 2015

Um perfume metamorfose ambulante: Resenha do perfume Satine de Lalique.

Resenha perfume Satine de Lalique

Resenha em video:

A rotina como uma saia plissada, rodopiando   A vida como um baile numa contradança do mesmo personagem, a dispor de novos ventos.
Pensando em perfume que se assemelhe a essa rotina que se metamorfoseia sem que  se abandone o ensimesmamento, proposta da mesa rodada do mês de maio,  pensei na proposta de um perfume que  conheci recentemente e que muito me agradou por ser sombreado, ondulado e quase performático em suas muitas notas ondulatórias que se assemelham a sobreposições.
Falo do perfume Satine, de Lalique. O  frasco é  hipnótico, de poder realmente encantador vindo da ideia original do mago vidraceiro René Lalique,  Entenda-se: O frasco é inspirado na criação La Perle Noire de René Lalique em 1924, para a Forvil, conforme podemos observar na foto

 O frasco do perfume da Lalique Satine, que em francês evoca sedas e cetins,  foi criado por r Aesthete Thierry (agência Baschmakoff). O tampo cor de prata é cravejado pela andorinha  emblemática da marca.Tal frasco se insere na ideia da saia de seda drapeada que simboliza o dia a dia feminino da mulher que amaria a fragrância Satine:  Uma rotina que pede vários cheiros em um, sem perder a delicadeza, a harmonia e a feminilidade.
Pensando nisso a perfumista Nathalie Lorson  em 2013 criou o perfume Satine de Lalique que passa por várias evoluções que mais parecem camadas e camadas que trazem  certa modernidade. A cada momento é possível sentir com vigor as notas harmonicamente contrastantes de Satine, descritas pelas marca como esferas que se fundem umas às outras, formando trilhas que devem acompanhar o dia a dia de uma mulher em seus muitos momentos.
Esse perfume que se metamorfoseia para mim começa com uma explosão de pimenta rosa, nota que muito tem agradado nas criações mais modernas. Depois sua alma se abre com notas que para mim serão sobressalentes e se mostrarão até o fim do perfume: a mistura de baunilha, patchouli e fava tonka, bem ap gosto de perfumes como La vie est belle. Muitos pararão por ai e decidirão que Satine é um mais um oriental gourmand sem grandes diferenças. Porém é preciso sempre esperar o rodopiar da saia e em muitos momentos Satine se mostra polvosoro e sedoso como um próprio cetim, agraciado por sândalo bastante cremoso e muito heliotrópio, assim como em certos momentos somos por ele acalmados por um vetiver intenso, dando aquela sensação de “gelol”, agradavelmente mentolado mesmo que ainda persistam traços gourmands das notas de base. O resultado é um perfume gentil e muito durável.
Para a mesa redonda desse mês que  trata de perfumes metamorfoses ambulantes me veio rapidamente a cabeça esse perfume tão sedutor  e performático que conta com a delicadeza e boa durabilidade da Casa Lalique, com um dos frascos que considero dos mais bonitos da perfumaria.
Convido-os a conhecerem outros blogs de perfumaria que falam sobre o mesmo assunto e deixo de apoio um vídeo resenha sobre o perfume Lalique, de Satine.
Priscila Lini em Parfumee
Luciana em Floral e amadeirado




5 comentários:

  1. Desejei ainda mais! Não sabia da inspiração do frasco, achei incrível! Parabéns Cris!

    ResponderExcluir
  2. Lalique e Cartier... Não sei qual das duas casas consegue me encantar mais. Não conheço 'pessoalmente' o Satine, mas só pelo nome, sua linda descrição e a proposta, me aticei a ir em busca... Um gourmand com traços de vetiver! Ousadias permitidas apenas aos mestres! Tudo lindo como sempre, Cris! Beijos

    ResponderExcluir
  3. Que linda essa saia rodopiando! Hum... enfrentando o mundo ao som dos bandolins <3 :3
    Causou-me medo perante o gourmand e curiosidade perante o aspecto gelol, como seria possível? Ah, só provando pra saber! Linda resenha Cris!!!!

    ResponderExcluir
  4. Como diz uma de nossas colegas, "curiosei". rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  5. O fundo da pagina do site é interessante..

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...